Mindy Kaling como Kelly Kapoor em The Office (Fonte: Reprodução)
Mindy Kaling como Kelly Kapoor em The Office (Fonte: Reprodução)

Mindy Kaling reforçou seus comentários em uma reportagem publicada nesta quarta-feira (09) na revista Elle, na qual ela relatou ter sido a única escolhida entre seus colegas escritores e produtores de The Office para ser vetada da elegibilidade ao Emmy.

O artigo da Elle, que será publicado na edição impressa da revista em novembro, referenciou uma época no início da série em que Kaling disse que um organizador do Emmy disse que “porque havia muitos produtores em The Office, eles iam cortá-la da lista. Ela, a única mulher de cor da equipe, não seria elegível para um Emmy como o resto da equipe”.

“Para receber seu legítimo reconhecimento”, continua o artigo, “ela lembra, ‘eles me fizeram, e não nenhum dos outros produtores, preencher um formulário inteiro e escrever um ensaio sobre todas as minhas contribuições como escritora e produtora. Eu tive que receber cartas de todos os outros produtores brancos dizendo que eu tinha contribuído, quando o meu registro já seria o suficiente’”.

O nome dela acabou sendo adicionado à lista, segundo o artigo. No entanto, o programa não ganhou naquele ano. Não fica claro, pelo artigo, de qual temporada Kaling estava se referindo. Afinal, a série da NBC recebeu 42 indicações ao Emmy no total.

Resposta da Academia

Mais tarde, a TV Academy, organizadora da premiação, respondeu à alegação de Kaling:

“Ninguém foi escolhido”, disse um porta-voz da organização. “Havia uma preocupação crescente anos atrás em relação ao número de artistas e roteiristas que buscavam créditos para produtores. Na época, a Associação dos Produtores trabalhava com a Academia de Televisão para verificar corretamente a elegibilidade do produtor. Foi pedido a cada produtor e escritor que justificasse seus créditos de produção. Não exigimos mais essa justificativa dos produtores executivos e roteiristas. Mas continuamos a verificar os créditos de “produtor de consulta” com a PGA para garantir que os creditados estejam realmente trabalhando no papel de produtor”.

Kaling comentou a resposta

Kaling comentou a resposta da TV Academy pelo Twitter. Você pode conferir as publicações abaixo:

“Respeitosamente, a declaração da Academia não faz nenhum sentido. Eu * fui * escolhida. Outros escritores-intérpretes-produtores de The Office NÃO foram excluídos da lista. Apenas eu. A pessoa mais jovem e mulher de cor. Mais fácil de descartar. Apenas dizendo”.

“Eu nunca quis mencionar esse incidente porque The Office foi uma das maiores experiências criativas da minha vida e quem gostaria de ter um relacionamento adversário com a Academia, que tem o poder contínuo de aprimorar nossas carreiras com prêmios? (1)”

“(2) Mas trabalhei tanto e foi humilhante. Eu escrevi tantos episódios, passei tanto tempo na sala de edição, apenas para que a Academia me descartasse, porque eles não conseguiam entender que eu era capaz de fazer tudo. Felizmente, fui resgatada pelos meus amigos, pelos outros produtores”.

“(3) A questão é que não deveríamos ter que ser resgatadas por causa da gentileza de nossos colegas homens brancos mais poderosos. Sem mencionar, parecia encobrir minha história. Isso foi há dez anos atrás. Talvez isso não aconteça agora. Mas aconteceu comigo”.