A introdução de Spock na última temporada de Star Trek: Discovery, da CBS All Access, pode ser o primeiro passo para unificar a franquia. Afinal, a Viacom, da Paramount, e a CBS estão prestes a atingir a reunificação corporativa.

Usando o exemplo da Disney, agora expandida pela Fox, o novo chefe da ViacomCBS, Bob Bakish, deixou muito claro na chamada dos investidores: franquias como Jornada nas Estrelas e Missão Impossível têm potencial significativo para alavancar “em todas as plataformas das empresas”. O CEO da CBS, Joe Ianniello, acrescentou que a “escala está se tornando cada vez mais importante o tempo todo”.

Sem barreiras de licenciamento persistentes, a lucrativa propriedade criada por Gene Roddenberry está agora totalmente sob uma única propriedade pela primeira vez desde que Star Trek: Enterprise chegou ao fim em 2005. No ano seguinte a CBS e a Viacom foram divididas em duas empresas separadas.

Enquanto o CBS All Access se prepara para lançar o muito badalado Star Trek: Picard no próximo ano com uma série animada, curtas e um spin-off de Discovery com Michelle Yeoh, as propriedades da Paramount dos primeiros personagens da franquia, como James T. Kirk, poderiam se integrar em um Trekverse ainda maior.

Pode não ser a Marvel ainda. Mas certamente tem o potencial de rivalizar com a gigante dos quadrinhos da Disney com um legado e valor quase tão valiosos. Neste estágio inicial, ouvimos dizer que qualquer grande produção da franquia cairá sob o comando de David Stapf, da CBS Studios.

Enquanto esperamos quem realmente decide o que, e se um quarto filme da última leva de Star Trek pode chegar, também torcemos para o longa para maiores de Quentin Tarantino.