A 3ª temporada de La Casa de Papel chegou na Netflix para delírio dos fãs. Afinal, ela trouxe de volta as personagens que conquistaram o mundo nas primeiras duas temporadas do programa espanhol.

Mas uma delas que os fãs não esperavam mais ver, ao menos até as primeiras promoções da temporada, era o Berlim de Pedro Alonso. No entanto, a personagem é mais presente do que poderia se imaginar.

O Professor

Uma das principais discussões sobre La Casa de Papel era a relação de Berlim com o Professor (Álvaro Morte). Contudo, se alguns já haviam percebido, o novo ano chega para confirmá-la.

De fato, Berlim é irmão do Professor. Portanto, filho do home que arquitetou o plano de assalto na Casa da Moeda da Espanha. E isso é essencial para o enredo.

Afinal, a culpa por sua morte é um dos maiores motivadores do Professor. Além disso, é claro, temos o sequestro de Rio (Miguel Herrán). Inicialmente contra o plano, o Professor é convencido por Berlim passo a passo do plano por meio de flashbacks.

O plano

Berlim é um dos grandes arquitetos do novo assalto do grupo. Assim, de certa forma, ela acaba por assumir um papel que antes era do Professor: ele nos explica etapa por etapa do plano.

Dessa forma, a participação de Berlim na série não só é intrínseca como ajuda a construir sua personagem. Então, podemos entender melhor as temporadas anteriores, já que fica claro o porquê da personagem ser escolhida como a líder do assalto anterior.

A equipe

Algumas atitudes da equipe mostram a influência que Berlim exerceu sobre os assaltantes nas primeiras temporadas. Decerto um exemplo é uma pequena referência acenada por Denver (Jaime Lorente).

Durante uma encenação com os reféns, aonde outros membros da equipe estão infiltrados, Denver pergunta a um dos penetras se ele gosta de assistir filmes. Um aceno óbvio para quando Berlim faz a mesma coisa com Arturo Román (Enrique Arce) na primeira temporada.