The Walking Dead (Fonte: Reprodução)
The Walking Dead (Fonte: Reprodução)

A AMC pode ser forçada a cumprir sua promessa de “reavaliar nossa atividade” na Geórgia, com The Walking Dead, caso uma nova lei, que proibiria o aborto depois de um certo ponto na gravidez seja aprovada.

Agora, Sarah Barnett, presidente de redes de entretenimento da AMC Networks, falou sobre o projeto de lei. Assim, disse apoiar o possível abandono da AMC de seu posto na Geórgia. Dessa maneira informa o The Hollywood Reporter.

“Estou muito feliz pela nossa empresa ter divulgado uma declaração dizendo que, se essa legislação restritiva entrar em vigor, reconsideraremos nossa atividade na Geórgia”, disse Barnett. A declaração vem depois que a AMC divulgou anteriormente um comunicado em que prometeu reavaliar a situação depois de uma decisão cuidadosa com base no resultado das contas.

“Eu pessoalmente considero isso uma questão de direitos civis. Se as mulheres não têm autonomia reprodutiva, não podemos participar da sociedade. Essa é a minha perspectiva pessoal”, acrescentou Barnett. “Neste momento em particular, eu pessoalmente sinto que qualquer tentativa de reverter os direitos que foram adquiridos não é bom para a igualdade de gênero”.