Tom Hiddleston como Loki em Thor: Mundo Sombrio (Fonte: Reprodução)
Tom Hiddleston como Loki em Thor: Mundo Sombrio (Fonte: Reprodução)

Uma das críticas mais fortes do MCU por um longo tempo foi que ele tinha um problema com seus vilões. Apesar de ter produzido heróis icônicos, a Marvel Studios nunca conseguiu criar um vilão memorável. Durante as primeiras fases do MCU, a notável exceção foi Loki, que ganhará sua própria série na Disney+.

Aparentemente, a Marvel sabia desde o início o que fazer com Loki. Ao menos foi o que disse o roteirista de Thor, Zack Stentz. Segundo ele, a maior prioridade era fazer de Loki um vilão tão bom quanto Magneto. E que desafio! Decerto que Killmonger e Pantera Negra representaram, acertadamente, melhor a dualidade de Magneto e Professor Xavier. Mas voltemos ao começo do Universo Cinematográfico Marvel.

Nos primórdios da MCU, a Marvel Studios sabia que estava se desenvolvendo para chegar aos Vingadores. Como tal, os executivos do estúdio tinham a ideia de que Loki seria o vilão daquele filme. Mas eles também sabiam que não eram muito bons em fazer popularizar vilões. Obadiah Stane, Whiplash e Abominação foram esquecidos assim que as pessoas deixaram o cinema.

A apresentação de Loki

Então, se Loki tivesse que ser o grande mau da fase um, eles precisariam acertar. Dessa forma, nada melhor que apostar em um dos vilões mais queridos das HQs. E na sua dualidade, que faz de sua vilania algo compreensível e, até, empático. Aqui está o que o estúdio disse para Stentz quando ele estava escrevendo o roteiro de Thor.

“É uma questão complicada porque tivemos um mandato muito claro quando estávamos escrevendo Thor. Eles já sabiam que estavam construindo as coisas para os Vingadores, e já tinham a noção de que Loki seria o vilão. Eles sabiam que seus vilões até então no MCU tinham sido um pouco abaixo do esperado, e eles disseram… Um dos executivos literalmente disse: ‘Olha, se você falhar em tudo mais, nos dê um vilão tão bom quanto Magneto em Loki’. Precisamos de alguém nesse nível, porque esse será nosso vilão para os Vingadores”, revelou Stentz.

Em 2011, o Coringa de Heath Ledger em Batman: O Cavaleiro das Trevas era o vilão a ser derrotado. Mas antes que o filme aparecesse, Magneto era provavelmente o melhor vilão de filmes de quadrinhos modernos. Ele apareceu em todos os filmes de X-Men, ele tinha poderes que o público gostava e o espectador podia simpatizar com seu raciocínio por causa de sua triste história de fundo.

Loki certamente tem a simpatia do público. Stentz disse ao The Fanboy Podcast que enquanto escrevia a personagem, ele sabia que uma das coisas mais importantes para fazer de Loki um grande vilão é que ele tinha que ser relacionável.

“Nós sempre colocamos muito esforço em nossos vilões. Mas neste caso nós realmente trabalhamos duro dando para Loki uma história interessante e fazendo-o simpatizante ao mesmo tempo em que ele está fazendo essas coisas terríveis”, disse o roteirista.

O futuro de Loki

Decerto, a Marvel está feliz com o trabalho de Stentz. Loki é um vilão tão memorável nas 3 fases do MCU que, para mostrar o quão perigoso é Thanos, uma de suas primeiras ações no cinema foi matar o Deus. Com sua fuga imprevista em Vingadores: Ultimato, o que a Marvel propõe é apagar o desenvolvimento da personagem e Thor: Mundo Sombrio e Thor: Ragnarok.

Assim, a Disney+ deve trazer para as telinhas uma personagem que conquistou os fãs antes de seus desenvolvimentos que o levaram a se tornar um aliado do irmão. Loki terminou sua participação nos cinemas como alguém que estava do lados dos heróis. Seu retorno para a televisão é logo após sua grande derrota como vilão. Dessa forma, o que acompanharemos em sua série é provavelmente o meio termo, um anti-herói, muito mais interessante que seu panorama maniqueísta.