Game of Thrones (Fonte: Reprodução)
Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

O pobre Tyrion Lannister (Peter Dinklage) passa os primeiros trinta minutos de The Bells, o penúltimo episódio de Game of Thrones, fazendo de tudo para impedir um massacre dos inocentes de Porto Real. Cena após cena, vemos Tyrion defender seu caso para Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) e Verme Cinzento (Jacob Anderson). “Se você ouvir os sinos tocarem, eles se renderam”.

No entanto, não importava. De fato, os sinos tocaram. Mas Daenerys incendiou a cidade de qualquer maneira. Certamente, uma atitude que prova que não importava. Contudo, não era só o apelo de Tyrion que não importava. Ao menos, 7 outros arcos do roteiro foram queimados junto com a capital.

Mesmo com altos índices de audiência, uma parte significativa da base de fãs da série da HBO está compreensivelmente chateada. Portanto, listamos 7 razões para explicar como The Bells deixou de lado a trama para chocar o público. No entanto, se isso foi bom ou ruim, aí é com vocês!

O fogo vivo escondido em Porto Real

Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

Desde a 2ª temporada de Game of Thrones, sabemos que há esconderijos de fogo vivo em toda Porto Real. O Rei Louco, Aerys II, havia os preparado para que pudessem, se acendidos, destruir a cidade inteira. É o que Aerys queria fazer quando Tywin Lannister (Charles Dance) atacou a capital durante a rebelião de Robert Baratheon (Mark Addy). E é por isso que Jaime Lannister (Nikolaj Coster-Waldau) o matou.

E é o que Cersei Lannister (Lena Headey) estava à beira de fazer desde que explodiu o Grande Septo de Baelor. Mas ao invés de se prosseguir com a ideia, ela foi jogada fora. Toda o foreshadowing para Cersei se tornar a Rainha Louca e queimar a cidade foi trocado por alguns pontos de fogo verde explodindo enquanto Dany voava com Drogon e um verdadeiro genocídio.

Euron Greyjoy

Johan Philip Asbæk como Euron Greyjoy em Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

Qual é a relevância de Euron Greyjoy (Johan Philip Asbæk)? Aparentemente, ele fez coisas notáveis ​​durante seu tempo na série. Mas aqui entre nós: nada disso realmente importava. Ele matou Balon Greyjoy (Patrick Malahide). Assim, iniciou uma eleição para ser rei das Ilhas de Ferro. Tudo isso foi para criar uma complicação para Yara chegar ao comando. Coisa que ela fez sem nenhum de nós ao menos ver. Ele roubou a Frota de Ferro. Agora, ela está totalmente destruída. E não foi difícil para Drogon fazê-lo. Você pode argumentar que Theon Greyjoy (Alfie Allen) só foi para Winterfell porque salvar Yara o fez ganhar coragem novamente. Mas já estava indo para lá assim que escapou de Ramsay Bolton (Iwan Rheon) com Sansa Stark (Sophie Turner). Então, Euron não ganha pontos por isso.

Seu relacionamento com Cersei também não deu em nada. Ele até ficou com a impressão de tê-la engravidado. Mas definitivamente não o fez. Ele matou um dragão, e isso ninguém tira dele. Contudo, Rhaegal estava bastante debilitado da Batalha de Winterfell. E sua presença não teria feito tanta diferença em Porto Real. Drogon deu conta do recado. Mesmo quando o pirata captura Missandei (Nathalie Emmanuel), não importa. Segundo os showrunners, foi a visão da Fortaleza Vermelha que foi a gota d’água para Dany. Além disso, todos sabemos que ele não foi o homem que matou Jaime Lannister.

O arco de redenção de Jaime Lannister

Nikolaj Coster-Waldau como Jaime Lannister em Game of Thrones (Fonte:Reprodução)

Jaime inicia a série com o maior déficit moral entre os Lannisters. Ele e Cersei tem uma relação incestuosa, e o egoísmo insensível o leva a empurrar um garoto inocente pela janela para encobri-la. Mas, durante sua jornada, Jaime é submetido a duras penas físicas e emocionais. Assim, acaba forçado a lidar com suas próprias noções preconcebidas de honra, amor, moralidade e nobreza. Gradualmente, ele começa a encontrar sua própria voz. Cersei cada vez menos consegue abafá-la. É uma jornada complexa, cheia de dúvidas, retrocessos e auto-sabotagem.

Mas se você fosse traçar os pontos significativos da história de Jaime em um gráfico, e desenhar uma linha de tendência, fica claro que ele está em uma trajetória ascendente desde 2ª temporada, o que retoma o seu primeiro encontro com Brienne of Tarth (Gwendoline Christie). A mulher o lembra do que é ser um cavaleiro. A 7ª temporada nos levava a acreditar que Jaime havia finalmente se livrado de Cersei. Decerto, a rainha também acreditava. A rainha se sentiu tão traída que enviou Bronn (Jerome Flynn) para matá-lo.

O púbico ficou satisfeito ao ver Jaime se aliar a seus antigos inimigos em nome do bem maior. Além disso, se envolveu romanticamente com a única mulher que sempre tentou ver seu melhor. Contudo, ele abruptamente decide que nada disso importa. Que ele deve voltar à estaca zero. Dessa forma, deixa tudo de lado para voltar para Cersei. Aparentemente porque sim. Afinal, ele já sabia que ela iria morrer no instante em que Daenerys assumisse controle da capital. Ele a conhece, e ela nunca desistiria do Trono de Ferro. Essa foi a razão que o fez ficar para trás em Winterfell. Ele sabia o que estava prestes a acontecer e sabia que, quando acontecesse, era do interesse de todos que ele estivesse longe.

A Companhia Dourada

A Companhia Dourada em Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

Cersei gastou os últimos centavos do reino para contratar a Companhia Dourada. Assim, com o apoio da Frota de Ferro e dos exércitos de Lannister, teria uma chance de vencer Dany. Muito foi falado de seus 20.000 homens, seu histórico invicto, suas habilidades impressionantes em batalha e sua lealdade aos contratos. E ainda assim eles não fizeram nada.

A primeira vez que vemos a Companhia Dourada em ação, eles nem têm a chance de lutar. Nenhum desses 20.000 homens faz alguma diferença no resultado do massacre de Porto Real. Eles poderiam nem ter estado lá. Tecnicamente, Cersei ainda deve uma quantia enorme ao Banco de Ferro por contratá-los. Mas as chances do banco cobrar a Coroa parecem muito baixas. E, sério, nos foram prometidos elefantes.

O arco (e a besta) de Bronn

Jerome Flynn como  Bronn em Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

No primeiro episódio da 8ª temporada, Cersei contrata Bronn, vi Qyburn (Anton Lesser) para matar os dois irmãos. Jaime por tê-la abandonado por uma jornada aparentemente suicida em Winterfell. Já Tyrion porque ele é, bem, Tyrion. Quando Cersei não está tentando matar Tyrion? Quero dizer, exceto por aquela vez em que ele estava em frente a ela com uma dúzia de flechas apontadas para ele e ela decidiu não fazê-lo. Exceto por essa vez.

Todos sabíamos que não havia maneira de Sor “Eu só quero um castelo” Bronn ser responsável por matar qualquer irmão Lannister. Mas o fato é que Cersei o contratou e Jaime sabia que ela o contratou. Só que ainda assim, ele vai até Cersei, sem um pingo de preocupação de que ela ainda pode querer que ele morra. E ela exclama, surpresa: “Você está sangrando!” como se ela não tivesse ordenado a morte dele há quatro episódios. Se Cersei não se importa que ela contratou Bronn para matá-lo, e Jaime não se importa que ela contratou Bronn para matá-lo, e Tyrion sabe que Cersei está sempre contratando pessoas para matá-lo, e Bronn não se importa com nada… Porque isso aconteceu?

A Gravidez de Cersei

Lena Headey como Cersei Lannister e Johan Philip Asbæk como Euron Greyjoy em Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

Uma das maires surpresas de The Bells não foi nem Dany tocando fogo na cidade inteira. Mas que aquela maldita gravidez era realmente real. Desde a 7ª temporada, há especulações que Cersei a estava inventando para manipular os homens ao seu redor, porque isso é 110% algo que ela faria. Ela viu Jaime cada vez mais longe dela, e poderia ter mentido para trazê-lo de volta. Então, quando ele foi embora, poderia ter usado a mesma mentira para prender Euron Greyjoy e sua Frota de Ferro. Ela diz para Tyrion na 7ª temporada que não pode beber devido a gravidez. E na 8ª volta a ter seu habitual copo de vinho na mão. Só poderia ser Cersei usando sua feminilidade para manter seu poder, e trabalhar as estruturas patriarcais de sua sociedade para sua vantagem.

Mas, aparentemente, não. Porque ela estava realmente dizendo a verdade o tempo todo. Claro, ela ainda tentou usar a gravidez para manipular Jaime e Euron. Mas o fato de que era real é estranho. Este show nunca foi de se apoiar em felizes coincidências. Mas Cersei engravida quando precisa segurar Jaime e forjar uma aliança com as Ilhas de Ferro? Não que isso importasse, no final. A gravidez de Cersei não afetou nenhuma de suas ações, apesar da certeza de Tyrion de que deveria, Jaime nunca mostrou sinais de que isso influenciou sua decisão de sair ou voltar, Euron morreu sem ter ideia de que o bebê não era dele, e Cersei e Jaime foram enterrados por rochas. Outro enredo que foi criado apenas para ir a lugar nenhum.

Cleganebowl

Rory McCann como Sandor Clegane, o Cão de Caça e Hafthór Július Björnsson como Gregor Clegane, a Montanha que Cavalga em Game of Thrones (Fonte: Reprodução)

Um confronto final entre os irmãos Clegane tem sido uma teoria dos fãs de Game of Thrones há anos. Mas quando finalmente aconteceu, teve um impacto surpreendentemente pequeno em quase tudo. Sandor Clegane (Rory McCann) tinha acabado de explicar para Arya Stark (Maisie Williams) o porquê era inútil para ela continuar adentrando a Fortaleza Vermelha na esperança de matar Cersei, já que Daenerys estava destruindo tudo e Cersei ia morrer de qualquer jeito. Mas o Cão de Caça desconsiderou seu próprio argumento em favor de continuar sua busca por seu irmão zumbi, Gregor Clegane (Hafthór Július Björnsson). Teria sido talvez um final poético para esses dois personagens… Se o Cão não tivesse acabado de fazer um caso tão convincente 30 segundos antes de encontrar A Montanha que Cavalga, que estiva definitivamente prestes a morrer (novamente) de qualquer maneira.