Doug Jones (Fonte: Reprodução)

A StarCon desse ano chega com uma grande novidade. Pela primeira vez desde a sua existência, a Convenção de Star Trek nacional traz um convidado que está atualmente na ativa. Doug Jones, o Saru de Star Trek: Discovery, estará presente no evento e, mais do que isso, será o grande homenageado da reunião nerd, que vem com o subtítulo “Os Mundos de Doug Jones”. Assim, o ator veio também ao Brasil pela primeira vez. E já está gostando! Em uma coletiva que ocorreu no Hotel Meliá Paulista, em São Paulo, Jones foi questionado sobre como era estar no país ao que ele respondeu que se sente muito bem.

“Eu gosto de abraços e de beijos. E vocês também!”, brincou Jones. O ator levou a coletiva nesse tom bem humorado, onde até brincou dizendo que não era tão “gostoso” quanto Jason Momoa quando pediram para comparar sua personagem em A Forma da Água com Aquaman. Sobre os fãs do Brasil, ele disse que começou a ter contato quando ainda estava em Falling Skies, onde interpretava o comandante Cochise, e desde então já recebia carinho dos brasileiros. Mas com Star Trek: Discovery, Jones diz que aumentou muito. Ainda assim, ele se assustou quando chegou aqui e descobriu que o evento seria “tão centrado em Doug Jones”.

O ator foi bastante questionado sobre seus trabalhos anteriores. Um deles foi o Surfista Prateado, da Marvel, no segundo filme do Quarteto Fantástico. Com os boatos de uma possível chegada da personagem no MCU, Jones disse que gostaria de interpreta-lo novamente. Mas não acha que estariam interessados em que ele voltasse, mas se mostrou esperançoso mesmo assim. “Quando eu interpretei o Surfista Prateado foi há 12 anos atrás. Eu era mais jovem. Mas eu ainda estou muito bem!”, brincou.

Star Trek: Discovery | 2ª temporada trará personagens de volta; confira imagens

A personagem é uma das favoritas de Stan Lee. Jones lamentou sua morte recente, e lembrou de quando o conheceu na época das gravações do longa. “Eu encontrei Stan Lee e o perguntei porque o Surfista Prateado era sua personagem favorita. Ele me respondeu que com a personagem ele ‘podia ser mais poético, podia falar sobre a humanidade sob uma perspectiva alienígena’.

Jones também mencionou seus trabalhos em Hellboy e A Forma Da Água ao falar sobre maquiagem. O ator é considerado um especialista nesse quesito já que fez diversas personagens dessa forma, como nas produções citadas anteriormente. O interessante para o ator é o uso de efeitos práticos e não de CGI, e ele rasgou elogios aos maquiadores com os quais trabalhou, especialmente os ganhadores do Oscar pelo trabalho em O Labirinto do Fauno. Ele ainda comentou sobre as dificuldades desse trabalho:

“A aplicação mais longa (de maquiagem) foi em Hellboy um, Abe Sapiens. Mas A Forma Da Água foi a mais longa em desenvolvimento…. O truque era que precisávamos fazê-lo bonito, mas sex. Com lábios beijáveis e um bumbum apalpável”, revelou Jones aos risos. Sobre os filmes, em questões, ainda comentou sua amizade com Guillermo del Toro, que o dirigiu nos longas. “Ele é um sonho de diretor. Meu favorito de trabalhar com. Todos os outros diretores que trabalham comigo sabem que não serão meus favoritos. Ele é o mais genial e brilhante artista que eu conheci na minha vida”.

Como Guillermo irá produzir um jogo junto de Hideo Kojima, foi especulado se Jones estaria nele também, mas o ator disse que não foi “para essa parte da vida dele ainda”. Mas há planos para a dupla no futuro. Segundo o ator, o diretor vencedor do Oscar quer tê-lo como o monstro de um possível filme sobre a história de Frankstein. Além disso, Doug Jones ainda falou sobre uma possível sequência do clássico infantil Abracadabra, onde ele interpretou o zumbi Billy. Entretanto, não soube dar detalhes sobre a sequência, além de que houve contato sobre seu interesse em voltar.

Star Trek | Patrick Stewart revela mudanças no universo da nova série de Jean-Luc Picard

Mas a coletiva tinha um “mundo” mais específico dentro de todos os de Doug Jones: Star Trek: Discovery. Assim, o ator passou pelos mais diversos temas relacionados ao assunto. Conforme a coletiva foi se dando, Jones foi pontuando questões com a série. Sobre maquiagem, por exemplo, revelou que passa entre 15 e 16 horas dentro da fantasia completa. Dessa forma, era impedido basicamente de fazer qualquer coisa cotidiana, como usar um smartphone ou mesmo colocar as mãos no bolso. Por isso, ele teve de “encontrar seu lugar feliz mental”.

Sobre a série em si, Jones não poupou elogios: “É bastante cinemática, com um enredo para assistir em maratona”. Todavia, o ator não considera estar fazendo uma obra política. “Eu não sou nem um pouco uma pessoa política. Eu estou tendo uma aventura espacial. Mas se você quiser trazer para a atualidade, você pode. Nós não reparamos em raça e gênero, para nós não importa. Nós estamos no futuro, já passamos por isso. É isso que eu amo sobre a série”.

Sobre a franquia como um todo, o ator ficou indeciso sobre quem era seu capitão favorito. “Isso é difícil de responder”, disse Jones quando foi perguntado se preferia a personagem de William Shatner ou Patrick Stewart. “Eu amo os dois, nós todos amamos. Por razões nostálgicas, Kirk é o meu primeiro. Mas pelo capitão maravilhosos que ele é, Picard, com certeza”.