Sintonia é o novo projeto nacional da Netflix. A série, mais uma das Originais do streaming, dirigida por Kondzilla e criada pelo próprio, ao lado de Felipe Braga e Guilherme Moraes Quintella, é mais uma que chega ao catálogo com características brasileiras aflorada.

3% e O Mecanismo, as primeiras séries brasileiras da Netflix, certamente não trouxeram tanto do Brasil para a telinha. Mas a partir de Samantha!, passando por Coisa Mais Linda e O Escolhido, vemos cada vez mais o país no streaming. Sintonia também segue a lógica.

A história segue um trio de amigos: Doni (M.C. Jottapê), Nando (Christian Malheiros) e Rita (Bruna Mascarenhas). Assim, mostra a vida de cada um dentro de suas realidades distintas, mesmo que próximas. Dessa forma, a série consegue explorar muito bem cada um dos assuntos que se propõe.

A escolha foi usar a carreira artística do funk ostentação, a igreja protestante e o crime organizado como uma maneira de crescer dentro da sociedade periférica paulistana. A trama fica ainda mais forte com as belas atuações de Jottapê, Malheiros e Mascarenhas.

O projeto mostra muito bem como cada uma dessas vidas trazem vantagens e desvantagens para as protagonistas, como cada uma seduz de forma diferente e como cada uma das personagens são confrontadas por elas em suas vidas particulares.

A direção de Kondzilla também dá tom ao programa, que mostra tudo de uma forma crua que, mesmo não usando sangue, muito sexo ou exacerbo de palavrões, não tem um tom leve. Ou ao menos não o tem em sua maioria, embora dose isso de maneira certo, trazendo uma boa perspectiva dos ambientes retratados e de como é ter que lidar com eles cotidianamente.

O episódio final traz uma belíssima sequência que mostra e compara rituais de cada um desses ambientes. Assim, Kondzilla consegue mostrar a consagração não só de suas personagens mas também de sua direção.

Talvez o piloto da nova série possa não agradar o público logo de cara, mas as personagens da série com certeza cativarão aqueles que insistirem por um ou dois episódios. Assim, a nova aposta da Netflix pode e deve cair no gosto popular. Tanto por se mostrar palatável mesmo ao tratar de assuntos mais pesados como por trazer um retrato nacional de uma forma bem brasileira.