Marvel Studios VS Marvel Televison (Fonte: Montagem/Reprodução)
Marvel Studios VS Marvel Televison (Fonte: Montagem/Reprodução)

Assim, do nada, a Marvel Television está sem outro programa em sua mesa. Afinal, nesta quarta-feira (25), surgiram notícias relatando que o Hulu e a Marvel Television não avançariam com a série do Motoqueiro Fantasma, protagonizada por Gabriel Luna. Embora o relatório da Deadline sugira que o streaming e o estúdio não tenham conseguido se acertar na parte criativa, qualquer teórico conspirador instantaneamente viu algo por trás da cortina.

Primeiramente, há de se somar as informações. Nesta segunda-feira (23), jornalistas sugeriram que Kevin Feige e a equipe da Marvel Studios estavam interessados em usar Motoqueiro Fantasma na tela grande. Coincidência? Não para um coração cheio de conspiração. Afinal, embora possa ser fácil usar “diferenças criativas” para explicar cancelamentos em declarações públicas, é preciso haver mais em jogo nos bastidores do que qualquer um de nós imagina.

Televison VS Studios

Digamos que essas fontes foram precisas em seus relatórios. Nesse caso, haveria pouca ou nenhuma chance de uma série do Motoqueiro Fantasma da Marvel Television e de uma franquia do mesmo da Marvel Studios acontecerem ao mesmo tempo. É uma questão de simples confusão de marca das maiores marcas no mundo. Mesmo se estivéssemos falando de Johnny Blaze e Robbie Reyes. Por outro lado, talvez o Motoqueiro Fantasmas da Marvel Television tenha sido realmente enlatado devido a diferenças criativas. Isso ainda não explica as inúmeras outras vezes em que Jeph Loeb e sua equipe não buscaram uma casa na Disney+ ou outro showrunner para o projeto.

Vamos começar com um dos exemplos mais recentes das duas facções em guerra da Marvel e a introdução do Disney+. Agora que a Marvel Studios tem sua própria plataforma de streaming, a equipe liderada por Kevin Feige praticamente não precisa trabalhar com Jeph Loeb e seus colegas de televisão. Não que houvesse um grande esforço, de qualquer maneira. As séries da Marvel Television na Netflix nunca realmente fizeram parte do Universo Cinematográfico Marvel. E Agents of SHIELD tentou em vão seguir o MCU somente para ser ignorado pelo próprio.

Disney+

Feige chegou a dizer algo confirmando essa situação, admitindo em um podcast em dezembro do ano passado que o streaming da Disney permitiria ao estúdio mais oportunidades de contar as histórias que eles queriam contar em um formato mais “serializado“.

Claro, Loeb ou Marvel Television não foram citados nenhuma vez na conversa. Mas é muito fácil para alguém ler nas entrelinhas. Desde o início do Universo Cinematográfico da Marvel, há um estúdio de propriedade da Disney dedicado exclusivamente ao desenvolvimento de propriedades baseadas na Marvel para televisão. Mas a Marvel Studios prefere desenvolver as propriedades em si do que confiar em outro estúdio.

Loeb’s disse continuamente que a Marvel Television estará levando projetos para o Disney+ em algum momento. Mas os anúncios até o momento praticamente não existem. Afinal, a Disney realmente quer propriedades originais da Marvel sendo feita por dois estúdios diferentes?

O fiasco Defensores

Então, veio o fiasco com os programas do DefendersVerse (universo de Os Defensores: Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e O Justiceiro) na Netflix, uma saga de seis séries que foram aclamadas pela crítica (com uma exceção que se trata de um protetor de K’un-Lun). Mas não pelo público (com exceção de um defensor de Hell’s Kitchen). Novamente, em qualquer declaração pública, a culpa foi colocada exclusivamente na Netflix. Mas quando se trata de relatórios privilegiados, é sugerido que a Disney subiu as taxas de licenciamento o suficiente para que o gigante do streaming fosse obrigado a desistir de qualquer novo acordo na esperança de conseguir os direitos live-action “de volta ao lar”, por falta de uma expressão melhor.

San Diego Comic-Con e D23 Expo 2019

Nos grandes eventos de cultura pop audiovisual desse ano, a Marvel Studios anunciou uma série de propriedades que muitos pensavam que seriam mais adequadas para a Marvel Television. Primeiro, foi o anúncio de que Mahershala Ali estrelaria em uma franquia de filmes Blade. Depois foi o anúncio de que Cavaleiro da Lua, Ms. Marvel e She-Hulk estariam indo para a Disney+ com séries próprias. Sem falar, é claro, na animação What If…? e as séries derivadas de personagens de filmes.

Blade e Cavaleiro da Lua especialmente seriam personagens mais adequadas para uma rede “mais sombria”, como a Hulu. Afinal, a Disney+ será um streaming “para a família”. Mas agora, essas duas personagens estão oficialmente na Marvel Studios. E é quase garantido que a Marvel Television não colocará as mãos em nenhum deles por um bom tempo. Se é que colocará.

Sem matéria-prima

A Marvel Studios tem um “embaraço de riquezas” (nas palavras de Feige) agora que possui uma programação enorme para os cinemas e sua própria plataforma de streaming para liberar conteúdo. Em algum momento, o poço de conteúdo consumível da Marvel Television vai secar.

Mas em que ponto o Universo Cinematográfico da Marvel se desvia do lema “tudo conectado” e muda para algo semelhante ao que a Warner Bros fez com o DCEU e o Arrowverse? Se isso nunca se tornar um cenário plausível, a Marvel Television será realmente forçada a usar personagens que jamais importariam para a Marvel Studios. E, consequentemente, para o público.

Independente de qualquer coisa, nos foi mostrado inúmeras vezes que a Marvel Television está com as mãos atadas quando se trata de comprar briga com a Marvel Studios.